Dá-me um cigarro! (a derradeira)

Já chega! Nove semanas e mais de cinco mil palavras depois, cheguei à conclusão que, para ser bem-sucedido na minha cruzada, tenho de parar de falar em fumo durante uns tempos. O motivo, caso não seja evidente, é que quanto menos falar e pensar nos paivantes, melhor! Por isso, chegou a hora de fazer um …

Dá-me um cigarro! (6ª parte)

  Caríssimo leitor, espero que esteja sentado. Não porque vá acontecer algo de especial, mas porque ler em pé é um pouco desconfortável. Já está? Muito bem, prossigamos. Estou cada vez mais perto das duas mil horas sem tocar num náite. O final desta saga encontra-se muito próximo e até ao final do texto a …